A Catedral dos tecnocratas

Um poema sobre o centralismo autoritário

A nossa catedral sobe ao mais alto dos níveis,
Pois só a nossa catedral pode iluminar este mundo.
Ele lança os seus raios através de retrato e janela,
Impressionando a sua imagem nos rostos abaixo.
De que outra forma deveriam as pessoas vir ver a luz?

A nossa catedral capta o assombro do mundo,
Pois só a nossa catedral pode ser bela.
Os anjos que esculpimos devem ser ajoelhados antes,
As suas mãos agarradas a tudo o que está dorido.
De que outra forma deveriam as pessoas procurar conforto?

A nossa catedral transcende o mundo dos homens,
Pois só a nossa catedral pode destilar o desconhecido.
Criação, existência, e a sua infinita complexidade
É entendido apenas através dos nossos bispos e da liturgia.
Pois de que outra forma as pessoas devem saber o quê e quando?

A nossa catedral resistirá ao teste do tempo,
Pois só a nossa catedral ressoa com harmonia.
Os hinos; eles soam ao longo das colunas, para a terra,
Enrolar a semente do fruto que nascemos.
Pois de que outra forma deveriam as pessoas vir a falar em rima?

A nossa catedral é o início e o fim,
Pois se não houvesse catedral, não haveria nada para admirar.
Sem graça, sem ordem, sem retidão.
Não deve haver mundo sem a nossa catedral,
E com isso, não há gente sem a nossa catedral.

Se gostaria de apoiar o meu trabalho, por favor considere doando utilizando o seguinte:

Código QR para doações de Bitcoin

GiveSendGo:https://www.givesendgo.com/tomshaw

 

Bitcoin: bc1qp2y8a0h7ya8ctjp6lcwvwg569cml8578ts553s

Comentários:

2 respostas

  1. Absolutamente brilhante. O seu ímpeto construiu-se realmente à medida que encarnava a narrativa. Há um tom ameaçador em toda a parte: a questão enganosa colocada no final de cada estrofe dá esta ilusão de solicitude pelo "povo" aludido, e a linguagem descritiva positiva utilizada (bela, maravilhosa, leve...etc.) apesar da agenda autoritária. Adoro as mensagens através do uso da poesia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

pt_PTPortuguese